Em Goiás: Governo autoriza pagamento da URV a servidores do Judiciário

Sábado, 10 de Junho de 2017

O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) recebeu, nesta quinta-feira (8), representantes do Poder Executivo do Estado de Goiás. O vice-governador José Eliton Júnior, substituindo o governador Marconi Perillo, autorizou o pagamento das diferenças salariais relativas à conversão do Cruzeiro Real para a Unidade Real de Valor (URV), moeda provisória que deu origem ao Real, aos magistrados e servidores do Poder Judiciário.
8 urv-ws 046Mais de 6 mil servidores receberão o pagamento das diferenças apuradas na conversão dos vencimentos em URV, do período de 1994 a 2005. O pagamento para os servidores será feito em 100 parcelas, enquanto para os magistrados será em 130, começando a partir da folha do mês de maio.
O presidente do TJGO, desembargador Gilberto Marques Filho, disse estar bastante feliz com a conquista desse direito, principalmente por ter sido um dos responsáveis por este feito. “Foi uma angústia tremenda nesse período todo, mas graças a Deus tivemos esse momento tão especial, tão importante. Me sinto muio feliz por ser um dos responsáveis pela conquista desse direito”, celebrou Gilberto Marques Filho. Ele também lembrou que o servidor do Judiciário goiano recebe um dos menores salários dentre os Tribunais de Justiça.
Segundo Rosângela Ramos Alencar, presidente do Sindicato dos Servidores e Serventuários da Justiça do Estado de Goiás (SindJustiça), esta é uma luta antiga dos servidores. Ela explicou que o SindJustiça ingressou com uma ação judicial e outra administrativa para receber essas diferenças, do período de 1994 até o atual. Contudo, o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que os servidores não teriam direito ao pagamento do período de 2006 adiante.
“Quando o desembargador Gilberto Marques Filho assumiu a Presidência, ele se comprometeu a lutar para que recebêssemos essa diferença. Ele tem sido muito sensível na questão dos servidores, que têm passado muitas dificuldades financeiras. A URV é um reconhecimento dos nossos direitos. Os servidores só têm a agradecer ao presidente”, disse Rosângela Alencar.
Mais de 300 servidores e magistrados compareceram à reunião, no Plenário da Corte. Compuseram a mesa de reunião, o presidente do TJGO, desembargador Gilberto Marques Filho; o vice-governador José Eliton Júnior;  a vice-presidente do TJGO, desembargadora Beatriz Figueiredo Franco; o corregedor-Geral do TJGO, desembargador Walter Carlos Lemes; o ouvidor-Geral do TJGO, desembargador Itamar de Lima; a diretora do foro de Goiânia, juíza Maria Socorro de Sousa Afonso Silva; a presidente do SindJustiça, Rosângela Ramos Alencar; o presidente da Asmego, juiz Wilton Müller Salomão; o deputado estadual Humberto Aidar, representando a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás e o chefe da Casa Civil do Estado de Goiás, João Furtado.
 (Texto: Gustavo Paiva / Fotos: Wagner Soares – Centro de Comunicação Social do TJGO)




fonte: Portal do TJ-GO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Comidas Típicas do Piauí

Artigo: O Endosso-Mandato e o Endosso-Translativo

Artigo: Voz de Prisão: Quem pode e quando se pode dar ...