Laurita Vaz é a nova presidente do STJ; Noronha será corregedor nacional de Justiça

Quinta Feira, 02 de Junho de 2016

O Pleno do STJ, reunido nesta quarta-feira, 1º/6, elegeu a ministra Laurita Vaz como nova presidente da Corte Superior. A vice-presidência será ocupada pelo ministro Humberto Martins e a corregedoria nacional de Justiça será do ministro João Otávio de Noronha. A eleição foi por aclamação.
A eleição para este biênio de 2016/18 teve uma peculiaridade. A tradição no Tribunal é de se obedecer a ordem de antiguidade; assim, com o término do mandato do ministro Falcão, a próxima a assumir deveria ser a ministra Nancy Andrighi, que é a atual corregedora nacional de Justiça.
Deveria, porque há cerca de um mês, a ministra Nancy surpreendeu ao informar que, vencido o biênio do CNJ, abdicaria da presidência. O motivo? Quer voltar à jurisdição. De fato, em missiva encaminhada aos colegas, Nancy afirmou que sempre teve “absoluta devoção” e se sente “realizada” na atividade de julgar.
Com a desistência da ministra Nancy, a ministra Laurita comandará ao lado do ministro Humberto como vice e tendo Noronha de corregedor.
Ministra Laurita Vaz
Nascida na cidade de Anicuns/GO, Laurita Vaz formou-se em Direito pela Universidade Católica do Estado. É também especialista em Direito Penal e Direito Agrário pela UFGO.
A ministra foi procuradora da República com atuação junto ao STF. Também trabalhou no extinto Tribunal Federal de Recursos e na Justiça Federal e do Trabalho. Foi procuradora regional da República e membro do Conselho Penitenciário do DF como representante do MPF.
Ministro Humberto Martins
Futuro vice-presidente do STJ, o ministro Humberto nasceu em Maceió/AL. Bacharelou-se em Direito pela UFAL em 1979 e em Administração de Empresas em 1980. Tomou posse na Corte em junho de 2006 e desde dezembro de 2015 dirige a ENFAM - Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Sálvio de Figueiredo Teixeira.
Ministro João Otávio de Noronha

A corregedoria nacional da Justiça será assumida pelo ministro Noronha, nascido em MG. Bacharel em Direito em 1981, tendo entrado na Corte em dezembro de 2002, Noronha é conhecido por manifestar opiniões polêmicas. Na mais recente, S. Exa. criticou o que chamou de “casta de profissionais que só tem privilégios” ao falar de advogados; diante de acusações do ex-presidente Lula quanto à imparcialidade dos ministros do STJ, João Otávio de Noronha fez discurso exaltado: “Essa Casa não é uma Casa de covardes, é uma Casa de juízes íntegros, que não recebe doação de empreiteiras. Não se alinha a ditaduras da América do Sul, concedendo benefícios a ditadores e amigos políticos que estrangulam as liberdades.” No início do ano, Noronha se desentendeu com o ministro Falcão.




fonte: Migalhas
na íntegra

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigo: O Endosso-Mandato e o Endosso-Translativo

Artigo: Voz de Prisão: Quem pode e quando se pode dar ...

Comidas Típicas do Piauí