40 Anos Depois: Um recebe a carteirinha da OAB o outro, finalmente, é aprovado para juiz...43 concursos após !

Sexta Feira, 07 de Abril de 2017

Quarenta anos depois de formado, Alceu Valença pega carteira da OAB


Formado em direito, na década de 70, pela Universidade Federal de Pernambuco, o cantor Alceu Valença vai finalmente pegar sua carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, o cantor não solicitou o registro, na época, porque estava vivendo da música, mas enfim receberá o documento das mãos do presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz.
Na época em que o cantor se formou, o Exame de Ordem ainda não era obrigatório. Para comemorar, o cantor fará um show, no escritório Maneira Advogados, onde acontecerá a entrega da carteira.

fonte: Varela Notícias

*********************************************************************

“Fui aprovado como juiz depois de 43 concursos”



juiz do Trabalho, Fábio Branda

O Juiz Fábio Augusto Branda prestou 43 concursos até conseguir ser aprovado para integrar o corpo de magistrados da Justiça do Trabalho em Minas Gerais. Foram dez anos de estudos e provas até que a aprovação viesse. “Se eu tivesse desistido, iria ter perdido este tempo. Como não desisti, valeu como experiência”, diz.

Branda atualmente é juiz auxiliar da 70ª Vara do Trabalho do Fórum Ruy Barbosa no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, para onde conseguiu se transferir pouco mais de um ano depois de ter virado juiz.
Ele completa dez anos de magistratura neste ano e já atuou em diversos casos de relevo, como o das dívidas trabalhistas da Vasp, ao qual se dedicou numa vara exclusiva por quatro anos.
Apesar da demora na aprovação, o juiz integra os quadros da Justiça do Trabalho desde os 18 anos, quando foi aprovado como atendente judiciário. Depois de se formar em Direito, tornou-se analista e, por já atuar no Judiciário, tinha de lidar com a pressão dos pares. “As pessoas em volta, no tribunal, liam o Diário Oficial e sabiam que eu não tinha passado. Era uma cobrança social muito grande e minha também”.
Para poder prestar os concursos ao redor do país, o juiz teve de vender um carro e chegou a voar com passagens adquiridas por um colega que tinha milhas sobrando.
Aos concurseiros, Branda diz que é preciso ter foco. “Não dá para fazer todos os concursos: juiz do trabalho, juiz estadual, juiz federal. A matéria é muito ampla e você vai se perder”, alerta.
O candidato também tem que acreditar que vai dar certo e ter perseverança. “Se eu passei, todo mundo pode passar. Só não pode achar que não é para você. Tem que fazer sua parte, estudar, seguir o edital do concurso e tentar”, diz o juiz. “Na hora que você vencer você mesmo, você consegue passar”.

fonte: Jota

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigo: O Endosso-Mandato e o Endosso-Translativo

Artigo: Voz de Prisão: Quem pode e quando se pode dar ...

Comidas Típicas do Piauí